A Ozonoterapia é uma técnica médica que utiliza o Ozono como agente terapêutico. É uma terapia eficaz num grande número de patologias, com poucas contra-indicações e efeitos secundários mínimos, desde que aplicada de forma correta, por um profissional devidamente certificado para o procedimento.

Propriedades do Ozono

O Ozono possui propriedades antisépticas, elimina e protege de uma ampla gama de agentes patogénicos. Melhora a capacidade de cicatrização e oxigenação dos tecidos, promovendo um efeito curativo em um grande número de lesões e doenças.

A Ozonoterapia promove igualmente a circulação sanguínea, estimulando por sua vez o sistema imunológico e endócrino a desencadear os seus mecanismos de homeostase.

Ozono em Medicina

No uso médico combina-se uma mistura de Oxigénio e Ozono, denominada geralmente por Ozono Médico, no qual o gás Ozono (O3) encontra-se presente em concentrações cerca de 30 vezes inferiores ao seu respetivo uso industrial.

 

Efeitos Bioquímicos do Ozono

Os efeitos bioquímicos do ozono, quando administrado no corpo humano, são os seguintes:

  • Aceleração do uso da Glucose pelas Células (Otimiza a Queima de Gordura)
  • Intervenção no metabolismo das Proteínas
  • Reação direta com ácidos gordos insaturados que se transformam em compostos lipossolúveis
  • Modelação do Stress Oxidativo por regulação das enzinas oxidantes naturais
  • Modelação das enzimas e citoquinas no processo inflamatório.

 

Efeitos Fisiológicos do Ozono

O Ozono apresenta os seguintes efeitos fisiológicos, quando administrado num paciente humano:

  1. Ação direta local, através das propriedades desinfetantes e tróficas do Ozono
  2. Efeito sistémico antibacteriano e antiviral, devido à discreta formação de peróxidos
  3. Modulação do Sistema Imunitário, reforçando-o
  4. Aumento da oxigenação dos tecidos, pelo incremento da produção do 2.3.difosfoglicerato nos glóbulos vermelhos
  5. Melhora a microcirculação por ação vasoreguladora do endotélio


Benefícios Terapêuticos

A Ozonoterapia pode ser aplicada num conjunto numeroso de situações, das quais se destaca a melhoria do sistema imunitário, regeneração celular, tratamento da dor crónica ou melhoria da performance física e mental.

 

O Ozono tem como benefícios terapêuticos diretos:

  • Melhoria do metabolismo do oxigénio
  • Modelação imunilógica
  • Modelação do stress oxidativo biológico
  • Potente ação bactericida, fungicida e anti-viral
  • Potente efeito analgésico e anti-inflamatório
  • Melhoria da circulação sanguínea
  • Prevenção do envelhecimento celular
  • Coadjuvante na terapia oncológica – Suporte Imunológico em pacientes submetidos a quimioterapia e outros tratamentos

 


Como se Aplica a Ozonoterapia

A Ozonoterapia é uma técnica que apresenta grande versatilidade, podendo ser administrada de forma local/tópica, por via parenteral – através de injeção, mesoterapia ou por auto-hemoterapia – ou ainda por administração rectal. A escolha da via de administração dá-se em função o maior benefício terapêutico, em concordância com a opção do paciente.

 

 

Aplicação Local

O Ozono pode ser aplicado localmente:

  • Através da lavagem e aplicação de água ou cremes impregnados de ozono (ozonizados).
  • Através da infiltração intra-articular, peri-articular, intra-discal e para-vertebral.
  • Mediante a aplicação de uma bolsa de plástico (bolsoterapia) onde a região afetada, geralmente um membro, ficará envolvido do ozono. Técnica mais comum no tratamento de Feridas e Úlceras de Pressão.
  • Em cavidade intravesical, intravaginal, ótica e intrafistular.

 

Aplicação Sistémica

O Ozono pode ser administrado com o objetivo de obter um efeito sistémico:

Por via intravenosa, através da Auto-Hemoterapia, ou seja, à coleta e reinfusão de sangue do próprio paciente, num procedimento totalmente seguro, com o sangue a ser impregnado de ozono durante e a técnica. (Auto-Hemoterapia Major)

Através de coleta e administração por via intramuscular de uma amostra de sangue do paciente, a qual foi exposta previamente ao ozono. (Auto-Hemoterapia Minor)

Por insuflação via retal, aplicando diretamente o gás através de um cateter fino, como se tratasse de um clister.

 

 


 

Indicações Clínicas

O Ozono pode ser utilizado num conjunto muito vasto de problemas de saúde, em função dos seus efeitos terapêuticos. Disto resulta um grande número de patologias em que o Ozono pode ser usado no tratamento, seja isolado ou complementar, a que se acrescenta a sua eficácia preventiva e melhoria significativa do estado de saúde geral do individuo:

 


Protocolo Terapêutico: Como se realiza?

Após uma prévia avaliação diagnóstica inicial, o clínico define o protocolo de tratamento a seguir, nomeadamente a via de administração a aplicar, dosagem e número de sessões. Poderão ser utilizadas mais que uma via de administração, em simultâneo ou de forma intercalar, em função da situação clínica particular do paciente.

Usualmente é definido um protocolo de 10 a 15 sessões, acompanhadas de consulta de seguimento e reavaliação. Cada sessão dura cerca de 15 a 20 minutos, e é aplicada regra geral, uma a duas vezes por semana.

Poderão ser sugeridas outras medidas terapêuticas, que vão desde a suplementação alimentar, restrição dietética, acupuntura, entre outras.

 


Tem Efeitos Secundários?

A Ozonoterapia é uma técnica segura, quando praticada de forma adequada por um profissional devidamente certificado. Quando em contacto com o organismo humano, o Ozono transforma-se em oxigénio, sendo de imediato absorvido.

O Ozono não poderá ser administrado, de forma alguma, sob via inalatória. Existem também restrições em pacientes com Favismo e com Hipertiroidismo (se não estiver devidamente controlado)

Diversos ensaios clínicos realizados, em pacientes animais e humanos, demonstraram a eficácia do Ozono com ausência de efeitos secundários ou complicações, nas suas diversas aplicações disponíveis.